COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ 13.05.20

CAMINHOS DA ZONA SUL

www.caminhosdazonasul.com___________________Paulo Gastal Neto

Live – A contagem regressiva ao aniversário de 60 anos da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), comemorado em 7 de outubro, tem início com nesta terça-feira, 12.05, com um projeto desenvolvido pelo Escritório de Desenvolvimento Regional (EDR). É o UCPel Next 60, uma série de encontros que, frente à pandemia do novo coronavírus, tornou-se virtual e deve discutir o futuro de Pelotas e região. A primeira atividade, a ser transmitida no Instagram pelo @ucpel, será às 19h, com a presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. A proposta é realizar duas lives por mês e o ‘pano de fundo’ é o desenvolvimento regional. Porém, antes que soe estranho falar sobre desenvolvimento em um período de pandemia, a UCPel explica: “É o desenvolvimento que defendemos na UCPel, em seu conceito mais amplo, que é social, sustentável e econômico”. Considera-se, assim, perspectivas para a melhoria da qualidade de vida da população do Estado e, principalmente, da região em que a Católica está inserida.
***
Fiergs – Com os duros impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus na economia, a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir em 0,75 ponto percentual a taxa de juros (para 3%), na semana passada, é justificada, mas deve vir acompanhada de outras medidas, segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul “Os juros baixos podem auxiliar na disponibilidade de crédito a custos mais acessíveis. Porém, somente a retomada gradual da atividade poderá evitar um agravamento da crise econômica”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry. Para ele, o Brasil vive os primeiros impactos da grave crise na economia brasileira causada pelo coronavírus mas, infelizmente, seus efeitos serão duradouros. O presidente da FIERGS lembra que antes da epidemia o desemprego já era grande e agora há alto risco de aumentar por causa da menor atividade nos diferentes setores econômicos, que sofrem com a menor demanda e com restrições para retomar a atividade.
***
Azonasul – Ação do Consórcio Público do Extremo Sul (Copes), ligado à Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), recebeu 5 mil máscaras faciais (conhecidas como Face shield) através de doação da empresa Taurus. O item, importante para a prevenção ao novo coronavirus (COVID-19), é fabricado em uma impressora 3D desenvolvida pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A empresa do ramo de armamentos montou uma linha de produção com voluntários do Exército Brasileiro atuando na montagem. Ao todo, a Taurus já produziu 60mil máscaras para a distribuição aos consórcios públicos e hospitais gaúchos. A prioridade dos equipamentos doados é suprir equipes de saúde dos municípios que estão trabalhando na linha de frente do atendimento aos pacientes com suspeita da doença.
***
Não adianta nada – Ainda falando em Azonasul: Os prefeitos dos municípios que envolvem a associação esclarecem que o recurso proveniente do Programa Federativo já estava no orçamento das gestões. Só para esclarecer: a notícia da aprovação do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, o qual prevê o repasse imediato de apoio financeiro emergencial a Estados e Municípios vem gerando dúvidas entre a população e poder público municipal. O assunto pautou debates dos chefes do Executivo ligados à Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) que deixam claro que o recurso refere-se apenas à perda de receitas que os municípios deixaram de arrecadar em função da quebra das atividades econômicas nos últimos 50 dias. “É preciso esclarecer à população que a proposta aprovada recompõe apenas parte das perdas que os municípios estão sofrendo com a queda na arrecadação de tributos em decorrência da pandemia da Covid-19. Vamos continuar enfrentando muitas dificuldades para atender os cidadãos e as medidas de contingenciamento de despesas serão cada vez mais duras”, explicou o prefeito de Cerritro, Douglas Silveira, em recente entrevista ao Programa Treze Horas da R.U.. O assunto vem gerando falsas expectativas na população, que ainda não compreendeu que se trata apenas de uma recomposição. No caso de Cerrito, disse Douglas ao programa, se for concretizada a perda de 30% do total de R$ 5,3 milhões que o orçamento previa, a queda será de R$ 1,5 milhões. Porém, a recomposição do programa federal prevê o repasse de R$ 792mil. “Muito abaixo do prejuízo. Por isso precisamos conscientizar as pessoas de que o sacrifício será expressivo para que se continue oferecendo sustentabilidade nas ações”, disse.
***
Até a próxima!




Comentários