ESPECIAL DE DOMINGO: STARTUP POSSIBILITA VENDAS ON-LINE PARA LOJAS DE PELOTAS

Desenvolvido pelo engenheiro de computação, Cândido Moraes, e o estudante de Engenharia de Produção, Gabriel Cunha, a plataforma permite que o usuário receba em casa produtos locais com toda economia, segurança, conforto e praticidade que o momento requer.

Incubada do Ciemsul/UCPel, Jubatus ganhou maior relevância durante a pandemia ao agilizar a entrega de produtos locais

Uma realidade atípica, de isolamento social, exigiu uma série de mudanças por parte de todos, inclusive dos empresários. Mais do nunca, as lojas precisaram expandir seus negócios para o universo das vendas on-line. Enquanto primeira plataforma e-commerce de marketplace pelotense, a startup Jubatus contribui nesse processo de adaptação ao auxiliar o dia a dia tanto de lojistas quanto de consumidores.

Desenvolvido pelo engenheiro de computação, Cândido Moraes, e o estudante de Engenharia de Produção, Gabriel Cunha, a plataforma permite que o usuário receba em casa produtos locais com toda economia, segurança, conforto e praticidade que o momento requer. “Mesmo que o comércio tenha reaberto com restrições, muitas pessoas não estão querendo sair de casa para evitar o contágio”, acredita Moraes.

O projeto que conecta lojas da cidade a consumidores foi idealizado em agosto do ano passado, quando iniciou-se a confecção do site, definição do modelo de negócios e prospecção de lojistas. O processo contou com o apoio do Centro de Incubação de Empresas da Região Sul (Ciemsul), desenvolvido pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel) e instalado no Pelotas Parque Tecnológico.

“A Ciemsul se encontrava com processo seletivo para novas incubações, e ali havia a oportunidade de contar com todo o apoio e visibilidade que a UCPel possui, além do fornecimento de espaço físico, mentorias, capacitações e do contato com profissionais ligados a tecnologia”, explica o engenheiro de computação.

*Oportunidade frente à crise*

A Jubatus começou a operar com a participação do público em fevereiro de 2020, um mês antes das medidas preventivas ao novocoronavírus (Covid-19). “A nossa relevância acabou se tornando maior devido as lojas só conseguirem vender a distância, com entregas”, destaca Moraes. Muitas empresas que não trabalhavam com e-commerce adotaram o modelo.

O fundador da startup adianta que, junto de seu sócio, estão organizando uma nova funcionalidade para a plataforma. Será oferecida a compra antecipada (e com desconto) de vouchers para serviços, como manicure, artesanato, costura e cabeleireiro, cujo resgate será posterior à pandemia. “É uma maneira de trazer renda para esses profissionais que não estão podendo trabalhar ou tiveram uma diminuição do número de clientes”, diz Cunha.

O serviço dispõe ainda de um catálogo que abrange mais de 500 itens, incluindo alimentos sem glúten, roupa feminina, acessórios infantis, colchões e artigos para cama, ferramentas, pet shop e jogos e acessórios de videogames.

Uma das principais vantagens de se adquirir produtos locais é a agilidade na entrega, que ocorre no mesmo dia da compra. A previsão é de até três horas, em horário comercial. Tal velocidade aparece no nome da startup, Jubatus, em referência ao nome científico do guepardo, animal terrestre mais rápido do mundo.

Comentários