PREFEITOS DA AZONASUL PARTICIPAM DE AUDIÊNCIA COM GOVERNADOR

Prefeitos da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) esperam avançar nas relações com o governo estadual no que diz respeito ao auxílio para amenizar os prejuízos com a estiagem na região e a destinação de recursos para a infraestrutura, principalmente viária. A audiência com o governador Eduardo Leite (PSDB) aconteceu nesta quarta-feira, no Palácio Piratini.

O documento, elaborado pela equipe técnica da entidade, aponta as perdas de 70% em lavouras de milho e estiagem; comprometimento de 60% da produção de feijão e o número crescente de famílias, atualmente mais de 2,5mil, sem água potável nas propriedades rurais e completamente dependentes do fornecimento diário oferecido até o momento pelas prefeituras em caminhões. Para amenizar os prejuízos, os chefes do Executivo solicitam a isenção do pagamento do Programa Troca-Troca; destinação de caixas d’água e de cestas básicas para atender as famílias do me io rural ; recursos para ressarcimento de combustíveis gastos pelas Prefeituras na distribuição de água potável e a cedência de equipamentos ou recursos para locação de horas máquinas para a perfuração de poços artesianos.

Durante o encontro, o presidente da Azonasul, Luis Henrique Pereira da Silva(PP), prefeito de Arroio Grande, solicitou agilização nos processos de homologação dos decretos de emergência e pedirá mais atenção para as questões ligadas aos acessos asfálticos dos municípios da zona sul que ainda não possuem a via principal para chegada com revestimento, como é o caso de Pedras Altas; Amaral Ferrador e Cerrito.

SITUAÇÃO

Até o momento já decretaram situação de emergência os municípios de Amaral Ferrador; Canguçu; São Lourenço do Sul; Morro Redondo; Piratini; Cerrito; Pedro Osório; Capão do Leão; Pinheiro Machado; Herval; Pedras Altas; Santana da Boa Vista; Turuçu e Arroio Grande, sendo que estes dois últimos ainda não constam no sistema da Defesa Civil. 

Comentários