AZONASUL BUSCA ALINHAMENTO DE CONDUTAS PARA REGRAR DECRETOS

A unanimidade entre os prefeitos sobre todas as medidas em defesa das vidas humanas frente às ameaças do Coronavirus pautou a reunião com duas horas de duração promovida pela Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), na manhã desta sexta-feira, através de videoconferência. O indicativo é de que na próxima segunda-feira, após as observações sobre o comportamento da epidemia e contatos com autoridades sanitárias, seja definido um decreto padrão na região regrando o funcionamento de estabelecimentos comerciais e a circulação de pessoas.

Ao relatar forte pressão do setor produtivo, a maioria dos prefeitos busca consenso de ações e o entendimento das comunidades sobre a necessidade do isolamento social, seguindo as restrições dos decretos já lançados e adequando às diretrizes repassadas pelo governo estadual durante reunião realizada com presidentes de 27 associações estaduais no início da manhã. “Pelo menos até o final da próxima semana vamos manter todas as cautelas. Avaliaremos o cenário e as alterações poderão ocorrer após 7 de abril”, explicou o presidente da entidade, Luis Henrique Pereira da Silva, prefeito de Arroio Grande.

O presidente também anunciou que a Azonasul emitirá uma manifestação em protesto à falta de atenção por parte dos governos federal e estadual para atendimento aos prejuízos causados pela estiagem na região, ele relatou seus contatos com a Defesa Civil e com o Ministério da Agricultura. “ Até o momento, não temos nenhum pleito atendido e aumentam os números de famílias desabastecidas de água e que contabilizam prejuízos de 100% em suas produções agrícolas”, declarou.

PANDEMIA

Dentro dos relatos dos chefes do Executivo já se contabiliza um incremento de 40% nas solicitações de cestas básicas às famílias em vulnerabilidade social. Também é preocupante o número de leitos de UTIs destinadas aos pacientes acometidos pelo Covid-19 à disposição em Pelotas e Rio Grande. Segundo a prefeita Paula Mascarenhas, no presente momento o município tem apenas cinco unidades reservadas para este atendimento, mas há uma expectativa de que venham os equipamentos para a estruturação de mais 20 leitos. Em Rio Grande, o prefeito Alexandre Lindemayer revelou que já reservou 55 leitos e que sua equipe de saúde busca a criação de mais dez unidades. Os prefeitos da Azonasul tamb& eacute;m aguardam a chegada dos EPIs, anunciados para a próxima semana através do governo do Estado e relataram a necessidade de  linhas de créditos para auxílio às famílias carentes.

Comentários