EXÉRCITO COMPLETA SEIS MESES NA DUPLICAÇÃO DE 50 QUILÔMETROS DA BR-116

    O número de militares envolvidos entre Guaíba e Tapes saltou de 84 para 180

    Máquinas e operários. Este foi um cenário desconhecido pelos usuários da BR-116, de Guaíba a Tapes, entre fevereiro de 2016 e janeiro de 2019.

    Mas nos últimos meses a percepção sobre a duplicação de 50 quilômetros da rodovia tem mudado. O 1º Batalhão Ferroviário do Exército Brasileiro completou seis meses de atuação em 7 de julho. O número de militares envolvidos saltou de 84 para 180.

    Durante os dois primeiros meses, o grupamento realizou as preparações necessárias, com montagem do canteiro de obras e alojamentos, além da instalação da usina de asfalto. Atualmente, trabalhos de terraplenagem ocorrem entre os km 327 e 343.

    O batalhão também tem se concentrado no lançamento da primeira camada de asfalto entre os km 314 e 330. Igualmente são realizados compactação e nivelamento da base e produção de brita para os trabalhos em andamento. Diariamente também são feitos controles de qualidade sobre o trabalho que é realizado.

    O serviço está sendo executado com uma verba de R$ 40 milhões que foi disponibilizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Em agosto, o governo federal anunciou que irá liberar aproximadamente 50 quilômetros de pista duplicada.

    Os quatro trechos que estão recebendo os últimos trabalhos estão localizados entre Pelotas e Camaquã. Nenhum deles, por enquanto, corresponde ao trecho do Exército.

    Porém, a informação repassada pelo Comando Militar do Sul, “os trabalhos estão sendo conduzidos com o objetivo de atender a liberação de trecho aos usuários da rodovia”. A liberação dos trechos de responsabilidade do batalhão ferroviário depende de tratativas feitas com o Dnit.

    A duplicação neste trecho era de responsabilidade da construtora Constran. Em recuperação judicial, a empresa não conseguiu obter o seguro garantia para retomar o contrato e teve seu contrato rescindido com o Dnit em 17 de dezembro de 2018.

    As obras serão executadas em três anos e dois meses ao custo de R$ 207,47 milhões. Segundo o Dnit, todos os nove lotes da BR-116, entre Guaíba e Pelotas, estão com obras em andamento.




    Comentários