PELOTAS TEM PROPOSTA DE PLANO DE MOBILIDADE URBANA

25.04.2019 – Prefeita Paula Mascarenhas durante apresentação do Plano de Mobilidade Urbana – Foto: Gustavo Vara

Documento é fundamental para o crescimento organizado e o planejamento da cidade

Doze meses de trabalho intenso, que envolveu pesquisas, audiências com a comunidade, consulta online e o acompanhamento de instituições e vereadores do Município, resultaram na conclusão da proposta do Plano de Mobilidade Urbana de Pelotas, apresentada à população, nesta quinta-feira (25), no Paço Municipal. A elaboração do instrumento, que é fundamental para o crescimento organizado e sustentável da cidade, foi considerado pela prefeita Paula Mascarenhas um passo importante, ao cumprir uma exigência legal e caracterizar-se como um norteador para os futuros projetos na área da mobilidade.
“Por ter sido construído coletivamente, considerando diversos pontos de vista – sobretudo, o da comunidade –, tenho a convicção de que será um plano vivo, que impactará na vida das pessoas. Isso porque não foi elaborado, exclusivamente, por técnicos; mas sim, pelos pelotenses que vivem a realidade do município”, disse a prefeita, referindo-se às 12 audiências realizadas com moradores de todas as regiões da zona urbana de Pelotas, ao longo do ano.
Construção coletiva
Lideranças comunitárias acompanharam a apresentação da proposta e representaram os cerca de 500 pelotenses que participaram das consultas nos bairros e contribuíram com sugestões para melhorar o deslocamento de pedestres, ciclistas e motoristas. Coordenador do Plano de Mobilidade e secretário interino de Transporte e Trânsito, Luiz van der Laan lembrou que, com a produção do documento, Pelotas poderá acessar recursos da União, emendas parlamentares e empréstimos referentes à área.
“O Plano transcende a gestão atual, já que é uma ferramenta permanente de planejamento ordenado de Pelotas, com metas e objetivos contemplando as próximas décadas. Além de atendermos à exigência legal, construímos um instrumento efetivamente capaz”, apontou van der Laan, ressaltando a contribuição da UFPel para a sua elaboração.
Organização do espaço
Pensando em investir na organização do espaço urbano e na convivência pacífica de quem compartilha, diariamente, os caminhos que conectam o município, a proposta contempla sete sistemas da mobilidade, explicou o coordenador técnico do Plano, o arquiteto da UFPel, Evaldo Krüger. Um deles é o integrado, que tem o objetivo de criar um sistema viário eficiente e seguro, com participação conjunta dos subsistemas.
Entre as principais finalidades delimitadas no documento está buscar a acessibilidade universal e torná-la um fator de inclusão social; elaborar projetos que qualifiquem o calçamento da cidade; deixar o transporte público mais atraente; priorizar o deslocamento de pedestres e ciclistas; executar intervenções que contribuam com a qualidade ambiental; e assegurar a participação pública nos processos de decisão.
O vice-prefeito Idemar Barz, o presidente da Câmara Municipal, Fabrício Tavares (PSD), e os vereadores Éder Blank (PDT) e Enéias Clarindo (PSDB) também acompanharam a apresentação.



Comentários