SUPERINTENDENTE DO PORTO DO RIO GRANDE BUSCA MAIS INTEGRAÇÃO E EFICIÊNCIA

Fernando Estima, novo diretor-superintendente, disse que pretende aproveitar melhor os espaços no porto e na hidrovia – Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

O governador Eduardo Leite empossou, na última sexta-feira (22), o novo diretor-superintendente do Porto do Rio Grande. Fernando Estima também vai comandar a administração dos terminais de Pelotas e Porto Alegre e da hidrovia do Estado do Rio Grande do Sul, que integram a Superintendência do Porto do Rio Grande. A solenidade foi no prédio histórico da Receita Federal do município.

O porto é o quarto maior do país em movimentação de mercadorias e considerado o segundo mais importante pela posição geográfica estratégica: tem rotas comerciais com mais de 90 países. Por ano, chegam ou saem do terminal cerca de 40 milhões de toneladas de diferentes produtos, sendo a soja o principal.

Estima foi secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Pelotas nos governos de Eduardo Leite e Paula Mascarenhas. Também foram empossados os demais integrantes da diretoria: Bruno Almeida (diretor de Portos Interiores), Cristiano Klinger (diretor de Gestão, Administrativo e Financeiro), Eduardo Teixeira (diretor de Infraestrutura e Operações) e Gilberto Cunha (chefe de Gabinete da Superintendência do Porto do Rio Grande).

O governador desejou boa sorte, reafirmou a confiança na equipe e destacou a relevância do assunto: “Quero garantir que os portos e as hidrovias estarão sob muita atenção do governador do Estado. Este tema é muito caro para mim. A responsabilidade é grande. O peso do porto é tão grande que ele pode se transformar numa enorme oportunidade de desenvolvimento ou num grande obstáculo para o Estado. Tudo depende de como será aproveitado.”

“Porto pode se transformar numa enorme oportunidade de desenvolvimento”, disse Leite em Rio Grande – Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

O secretário de Logistica e Transportes, Juvir Costella, destacou a importância da atividade portuária: “O Porto do Rio Grande tem de servir de referência para o desenvolvimento do Estado. As secretarias têm de se unir para cuidar dos nossos portos. Temos de olhar melhor para essa riqueza que temos nas mãos”.

Estima agradeceu pelo convite e falou do trabalho que pretende realizar: “Sei o tamanho da responsabilidade que estou assumindo. A expectativa é enorme. Esperamos fazer mais parcerias e aproveitar cada pedacinho da área, tanto no porto como na hidrovia. Há coisas desconectadas que temos de integrar, por exemplo, o distrito industrial. Acho que temos de buscar mais eficiência, porque espaço há.”

Recordes em 2018

O ano passado teve a maior movimentação da história do complexo portuário. Foram 42,9 milhões de toneladas, aumento de 4,3% comparado a 2017. O grande destaque foi a soja, com mais de 16,3 milhões de toneladas. O segmento de carga geral teve crescimento superior a 10%, impulsionado pela celulose. Foram exportadas 1,6 milhão de toneladas do produto, crescimento de 53% quando comparado ao ano anterior. A de carga viva também teve destaque, com avanço de 78,8%, ultrapassando 152 mil animais com destino à Turquia.




Comentários