ABERTA OFICIALMENTE A 9ª COLHEITA DA UVA EM PELOTAS

    Propriedade da Família Bohrer, no 8º distrito, passou o domingo (3) com as porteiras abertas para receber visitantes

    A tarde deste domingo (3) marcou a 9ª Abertura da Colheita da Uva na zona rural de Pelotas. A propriedade da família Bohrer, na Colônia São Manuel, 8º distrito, Rincão da Cruz, esteve de porteiras abertas e com estrutura montada com bancas de artesanato, agroindústria, empresas do setor primário e comercialização da fruta, pa recepcionar as centenas de visitantes que prestigiaram o evento animado com o som de banda e farta gastronomia.
    A safra deste ano conta com expectativa de acréscimo de 15% em relação à de 2018, podendo chegar a 1.600 toneladas da fruta. Os parreirais roubaram a cena. Cachos perfeitos das variedades Niágara rosa e branca, e bordô, com sabor e qualidade, ocuparam câmeras fotográficas, filmadoras e celulares. Não houve quem não os admirasse. A propriedade deverá colher de 20 a 25 toneladas, no cultivo de meio hectare.
    O vice-prefeito Idemar Barz representou a prefeita Paula Mascarenhas no evento organizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Embrapa, Emater, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Pelotas, e patrocínio do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi).
    Na chegada, visitantes recebiam um cacho de uva para degustação, simbolizando as boas-vindas da Prefeitura, da família anfitriã e dos demais organizadores. A rainha da uva, Vitória Blank Ribes, acompanhou o evento do início ao fim.
    Bênção
    Os líderes religiosos das igrejas Católica, Episcopal e Luterana, respectivamente padre Luiz Armindo Capone, reverendo Ubirajara Fonseca e pastor Jorge Signorini, estiveram encarregados de abençoar a abertura da colheita. A uva tem significado bíblico, cristão.  O pastor Signorini abençoou os agricultores, salientando serem um exemplo de amor à terra, às frutas, a Deus e à vida, e destacou o apoio de instituições como a Embrapa, Emater e UFPel. O reverendo Ubirajara lembrou que a uva é sagrada e que Jesus mostrou seu primeiro milagre transformando água em vinho, numa festa de casamento. Desejou uma colheita abundante e prosperidade.
    O padre Capone reportou-se à família Bohrer, contando que, ao chegar na sua propriedade, não tinha água, luz nem estrada. Assim, enalteceu o valor da família, do trabalho e da unidade. Os religiosos fizeram a Oração da Colheita e rezaram o Pai Nosso, acompanhados pelo público.
    Manifestações
    Depois da bênção, o produtor anfitrião, Rafael, em nome da família Bohrer, desejou boa festa a todos.
    O presidente do Sindicato dos Trabalhadores e do Sicredi, Nilson Loeck, registrou sua satisfação em participar da abertura de mais uma colheita da uva. “Plantar um pé de qualquer coisa precisa um pedaço de terra, muito trabalho, força de vontade e tecnologia”, disse. Para ele, a união dos agricultores familiares é imprescindível para revisão da política agrária.
    O gerente geral da Emater, Ronaldo Maciel, cumprimentou a Prefeitura pelas festas que envolvem a fruticultura. “O cultivo é a razão da existência da extensão rural e da pesquisa.”
    O secretário de Desenvolvimento Rural, Jair Seidel, destacou a alta produtividade e a qualidade da fruta da safra deste ano. “Isso demostra que a zona rural de Pelotas possui área geográfica, solo e clima favoráveis, além de agricultores empenhados e capacitados, e técnica para evoluir.”
    Seidel lembrou que há pouco mais de dez anos, Emater, Embrapa e Universidade Federal uniram-se e se certificaram de que era possível a produção de uva de qualidade em Pelotas. “O momento é de comemorar.” O secretário comentou sobre as feiras organizadas na cidade, que possibilitam a venda direta do produtor ao consumidor. Disse que a iniciativa é positiva, promovendo preço justo para ambos.
    O presidente da Câmara, vereador Fabrício Tavares, afirmou que a colheita é um exemplo de que a união de instituições dá certo. “Todos são fundamentais no processo, mas nada seria possível sem a coragem do agricultor.”
    O vice-prefeito Idemar Barz transmitiu o abraço da prefeita Paula Mascarenhas e desejou boa festa aos visitantes. Registrou que a Prefeitura vem, cada vez mais, empreendendo esforços para valorizar a produção de frutas em Pelotas, com o objetivo de promover o desenvolvimento do Município, da zona rural e do agricultor.
    “Sabemos o quanto é difícil a atividade no campo. A tecnologia veio aos poucos, com o passar do tempo. Hoje, com acompanhamento técnico de especialistas, orientando o agricultor para produzir mais e com melhor qualidade, a produção de uva e de outras frutas está avançando. Mesmo assim, faça chuva, faça sol, o colono não falta ao trabalho”, disse o vice-prefeito.
    Placa e fita
    Após as manifestações, o vice-prefeito e a rainha da uva, Vitória Ribes, entregaram à família Bohrer uma placa de agradecimento por ser anfitriã da abertura da 9ª Colheita da Uva no Município. A seguir, a colheita foi oficialmente aberta com o corte da fita amarrada junto ao parreiral.
    Presenças
    Além de centenas de pessoas da zona rural e da cidade, a abertura da colheita da uva foi prestigiada pelos vereadores Éder Blank (PDT) e José Paulo Benemann (PSDB), pelo professor da área de tecnologia em alimentos e bebidas, do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos da UFPel, Valdecir Ferri, pelo administrador do 8º distrito, Martins Silva, pelo pesquisador da Embrapa, Luís Eduardo Antunes, e por representantes políticos.



    Comentários