DO PELOTAS TREZE HORAS AO PALÁCIO PIRATINI

Eduardo Leite no Treze Horas, debatendo os mais diversos temas da política até as amenidades que descontraem o programa certas vezes.

O PELOTAS TREZE HORAS E A RÁDIO UNIVERSIDADE DARÃO ESPECIAL COBERTURA A POSSE DE UM PELOTENSE COMO GOVERNADOR DO ESTADO DO RS

A Rádio da Universidade Católica de Pelotas e o programa PELOTAS TREZE HORAS, farão em conjunto uma cobertura especial da posse do governador eleito, o pelotense Eduardo Leite. Aos 19 anos de idade o novo governador do Rio Grande do Sul começou a frequentar o debate político da emissora, que é levado ao ar de segundas as sextas-feitas das 13h às 14h30min, levado pelo seu pai, o professor José Luis Marasco Cavalheiro Leite, que também integra a equipe do programa. O Treze Horas completou em 2018 40 Anos no ar na mesma emissora.

Filho e pai – Eduardo e Marasco – no Pelotas Treze Horas. O Salão Amarelo do Edifício da Associação Comercial de Pelotas é conhecido como o “Palácio da Política” nos meios políticos da cidade.

A transmissão feita pela equipe que estará em Porto Alegre começará as 13h com um programa Treze Especial das 13h às 15h direto da Assembleia Legislativa. Na sequência entrevistas com convidados e autoridades que estarão chegando ao Palácio Farroupilha e às 17, direto do Salão Negrinho do Pastoreio, no Palácio Piratini, a transmissão da Solenidade de Transmissão do Cargo ao Governado Eleito pelo Governador José Ivo Sartori. A equipe de trabalho contará com o Jornalista Clayton Rocha, coordenador do Treze Horas, Paulo Gastal Neto e Pedro Piegas, equipe do programa, o repórter Marcelo Prestes e na retaguarda no estúdio da R.U. em Pelotas, Daniel Kurz. A técnica em Porto Alegre ficara a cargo de Jorge Alves.

Eduardo Leite recebendo a caneca com a sua foto, uma tradição do Programa Treze Horas, do decano professor José Gomes Neto.

ROTEIRO

Leite tem o primeiro o compromisso às 16h, no Plenário 20 de setembro. Em sessão solene, os novos governador e vice-governador, Ranolfo Vieira Junior (PTB), serão empossados. Ainda está previsto o primeiro discurso do tucano como governador. A sessão vai contar com a presença de convidados, mas o público geral também terá acesso a cerimônia.

Em seguida, às 16h45min, está prevista uma caminhada da Assembléia Legislativa até o Palácio Piratini. Leite será recebido pelo chefe do cerimonial do governo, Aristides Germani.

Em ato continuado o governador vai se direcionar ao Salão Negrinho do Pastoreio. Ele será recepcionado por José Ivo Sartori, que vai realizar a transferência do cargo ao seu sucessor. Neste momento, também são previstos discursos de Leite e Sartori.

Para finalizar esta etapa da cerimônia, Leite irá conduzir Sartori até a porta principal do Piratini, onde vai ser feita uma despedida simbólica.

Às 18h serão empossado os secretários. Leite vai empossar os 22 novos secretários do Estado. Logo após, Leite deve saudar o público presente da janela de seu novo gabinete.

EQUIPE

O futuro governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), fechou a equipe de primeiro escalão com 22 postos. Os últimos cinco nomes foram anunciados nesta sexta-feira (28), na sede da transição, no Centro de Treinamento da Procergs, na zona sul de Porto Alegre, completando o elenco do secretariado. Foram conhecidos os futuros ocupantes das pastas de Educação, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Trabalho, Obras e Articulação e Apoio aos Municípios.  O vice-governador eleito, Ranolfo Vieira Júnior, acumulará a Administração Penitenciária com a pasta da Segurança. Com o time completo, também fica definida a distribuição de pastas entre os partidos da base de apoio ao tucano, que toma posse na terça-feira, primeiro dia de 2019.  Dirceu Franciscon (PTB) assumirá o Desenvolvimento Econômico e Turismo, Regina Becker, também do PTB (ex-Rede), será secretária do Trabalho, José Stédile (PSB) ocupará a pasta de Obras, Faisal Karam será secretário de Educação, e Rodrigo Lorenzoni, do DEM e filho do futuro chefe da Casa Civil do Governo Jair Bolsonato, Onyx Lorenzoni, assumirá a Articulação e Apoio a Municípios.

Confira os escolhidos por Leite e a pasta de cada um:

  1. Administração Penitenciária: Ranolfo Vieira Júnior
  2. Agricultura: Covatti Filho (PP)
  3. Ambiente e Desenvolvimento Sustentável com a de Infraestrutura: Artur Lemos (PSDB)
  4. Articulação e Apoio a Municípios: Rodrigo Lorenzoni (DEM)
  5. Casa Civil: Otomar Vivian (PP)
  6. Comunicação: Tânia Moreira (PSDB)
  7. Cultura: Beatriz Araujo
  8. Desenvolvimento Econômico e Turismo: Dirceu Franciscon (PTB)
  9. Educação: Faisal Karam (PSDB)
  10. Esportes e Lazer: João Derly (Rede)
  11. Fazenda: Marco Aurélio Santos Cardoso
  12. Governança e Gestão Estratégica: Cláudio Gastal (PPS)
  13. Inovação, Ciência e Tecnologia: Luís da Cunha Lamb
  14. Justiça, Cidadania e Direitos Humanos: Catarina Paladini (PR)
  15. Obras: José Stédile (PSB)
  16. Planejamento: Leany Lemos (PSB)
  17. Procuradoria-Geral do Estado: Eduardo Cunha da Costa
  18. Relações Federativas e Internacionais: Ana Amélia Lemos (PP)
  19. Saúde:Arita Bergmann (PSDB)
  20. Segurança: Ranolfo Vieira Júnior
  21. Trabalho e Assistência Social: Regina Becker(PTB)
  22. Transportes: Juvir Costella (MDB)

EDUARDO LEITE

Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite – PELOTAS, 10 de março de 1985 – advogado e político, filiado ao (PSDB), foi eleito governador do RS nas eleições estaduais de 2018. Anteriormente, fora prefeito de Pelotas de 2013 a 2017.

Leite iniciou sua carreira política no movimento estudantil, como presidente do Grêmio Estudantil de sua escola. Graduado pela Faculdade de Direito da UFPEL, filiou-se ao PSDB e concorreu a vereador em 2004, fazendo mais de 3 mil votos, ficando na primeira suplência. Com o impedimento do titular (Cururu), assumiu o mandato em 2008. Após o fim do mandato concorreu novamente e se reelegeu.  Logo depois, integrou a administração municipal, chegando ao cargo de chefe de gabinete do prefeito. Presidiu a Câmara Municipal em 2011.

Eleito prefeito de Pelotas em 2012, Leite permaneceu no cargo durante quatro anos, sendo sucedido por sua vice-prefeita. Em 2018, elegeu-se governador do Rio Grande do Sul no segundo turno com 53% dos votos válidos, derrotando o governador José Ivo Sartori e tornando-se um dos governantes mais jovens da história do estado.




Comentários