COLUNA CAMINHOS DA ZONA SUL – DIÁRIO DA MANHÃ 27.03.2018

CAMINHOS DA ZONA SUL

www.caminhosdazonasul.com____________________Paulo Gastal Neto

Puxando pra baixo – Tenho dito em meus espaços na R.U. e escrito aqui na coluna o quanto o IBAMA tem se esforçado em barrar o desenvolvimento do RS e a geração de empregos. O caso mais recente é de conhecimento de todos e se relaciona a dragagem do canal de acesso ao porto de Rio Grande. Já abordamos aqui que a Superintendência do Porto, após atender diversas exigências do órgão com relação ao projeto de dragagem, assinado em 2015 pelo Governo Federal, foi surpreendida com um parecer, em outubro passado, aumentando o nível de condicionantes para autorizar a obra de dragagem no complexo portuário Rio-grandino. Assim como acontece todos os anos com os PPCIs. A cada devaneio troca a cor da placa de ‘SAÍDA’ e a altura onde deve se localizar o extintor!

***

Virando o jogo – A partir da inesperada decisão, que levou inclusive o governador José Ivo Sartori a Brasília para intervir com voz forte em favor do porto gaúcho, a SUPRG vem realizando uma série de estudos e contratações de monitoramento para atender os itens apresentados e garantir uma obra com amplo acompanhamento social. É bom recordar que a dragagem do Porto do Rio Grande, assinada em 2015, é um projeto do Governo Federal cabendo à SUPRG licenciar a obra junto ao IBAMA. Recordando também que após tudo concluído a direção do porto foi ‘atropelada’ com o parecer 50/2017 elevando o nível de exigências, com situações nunca antes mencionadas.

***

Cartas na mesa – Com a reviravolta extemporânea o porto teve que contratar diversos estudos ambientais, entre eles o monitoramento da costa para mostrar de forma bastante precisa o comportamento dos sedimentos fluidos, antes, durante e depois das obras. O novo plano de dragagem, que constam o cumprimento dos itens solicitados, deve será apresentado esta próxima semana ao IBAMA.

***

 PUBLICIDADE

Para evitar alagamentos, o Sanep tinha como meta realizar a limpeza de 40.000 metros de canais de drenagem. Mas superou esse número e atingiu 80.000 metros, em uma ação que proporcionou um bom funcionamento do sistema de escoamento, durante a estação mais chuvosa do ano. Só que o trabalho ainda não terminou, afinal é preciso continuar esse esforço para a retirada de lama, lixo e entulhos que diminuem a capacidade de vazão das águas pluviais.

É O SANEP FAZENDO O MELHOR PARA VOCÊ E PARA A NOSSA CIDADE!

***

Excelência – A SUPRG buscou apoio num grupo de trabalho com os melhores técnicos da área em Rio Grande. Profissionais reconhecidos mundialmente como o Professor Lauro Barcellos, a professora Eliza Fernandes, o vice-reitor da FURG Danilo Giroldo, os professores Lauro Calliari, Carlos Garcia, Osmar Möller, somados ao NEMA – Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental, juntamente com a equipe técnica da própria SUPRG. Esse grupo, somado a outros professores com alta capacidade vem analisando o parecer e construindo as respostas e ações necessárias para garantir a proteção ambiental.

***

Pauta social – As decisões de gabinete através de normas que desconhecem a realidade local, pois são tratadas em gabinetes de Brasília, causam enormes transtornos à vida de uma comunidade. A Superintendência do Porto está garantindo a sociedade gaúcha que construirá um processo de acompanhamento social para que não haja dúvidas quanto à lisura e o comprometimento ambiental da obra. ‘O assunto dragagem não diz respeito somente ao Porto. Falamos também que sem ela perderemos empregos e renda em nossa cidade. Perderemos contratos que serão repassados a outros portos e perderá a Cidade do Rio Grande e o Estado do Rio Grande do Sul como um todo. Não é o momento de surgirem oportunistas para criar novos empecilhos. Queremos o apoio, a crítica construtiva, mas não aceitaremos sermos taxados de irresponsáveis. Estamos trabalhando com afinco para termos uma dragagem pautada pelo desenvolvimento sustentável e com amplo acompanhamento social”, disse categoricamente o diretor do porto riograndino e da SUPRG Janir Branco.

***

Até a próxima!

Comentários