DNIT APRESENTA EM CAMAQUÃ SITUAÇÃO FINANCEIRA E AVANÇO NAS OBRAS DE DUPLICAÇÃO DAS OBRAS DO TRECHO SUL DA BR-116

     
    Com cerca de 60% dos serviços executados, a duplicação da BR-116/RS está com 98,5% da sua extensão de 211,2 km, entre Guaíba e Pelotas, com algum tipo de trabalho iniciado. Em valores já foram investidos no empreendimento mais de R$ 791 milhões e são necessários outros R$ 550 milhões para concluir a obra. Para este ano estão garantidos R$ 99,5 milhões. Os dados foram divulgados na última quinta-feira (29/03) pelo superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), engenheiro Hiratan Pinheiro da Silva, durante reunião da Frente Parlamentar para Acompanhamento das Obras e Defesa da Conclusão da Duplicação da BR-116, realizada com autoridades e lideranças municipais de Camaquã.
    No encontro, solicitado pelo presidente da Frente Parlamentar em Camaquã, vereador Marco Longaray, o trecho da duplicação entre a Vila São Carlos (km 390 da rodovia) até o entroncamento com a ERS-350 (km 398) foi o que mais gerou questionamentos dos presentes. O segmento está inserido no Lote 4 da duplicação (km 373,2 ao km 397,2), que está 44,5% concluído. “Estamos mobilizados para que esta obra se materialize no menor tempo possível”, disse o vereador.
    Dos serviços realizados, segundo Hiratan, destacam-se a terraplenagem que está 100% executada, a base da pavimentação (etapa que antecede a aplicação de asfalto) que já está pronta em 20,9 quilômetros dos 23,9 do trecho e a ponte sobre o Arroio Velhaco que está concluída. “Queremos deixar este lote na melhor condição possível, pois quando tivermos o recurso adequado poderemos executar o asfalto”, comentou.
    A explanação abordou também os trabalhos no Lote 5 (km 397,2 ao 422,3). Entre as principais dúvidas estava o acesso das comunidades lindeiras para a rodovia. Os alagamentos dentro do município também foram tratados na reunião. “A drenagem da rodovia contará com três tubulações de mais de três metros de largura e 3 metros de altura para dar vazão à água. E depois de concluirmos as obras da pista nova iremos adequar a tubulação da pista em operação. Portanto, a duplicação da rodovia não afeta a drenagem na área urbana de Camaquã”, garantiu Hiratan.
    A construção das passarelas foi uma preocupação levantada pelos participantes. O DNIT/RS elencou que no projeto original da duplicação estão previstas duas passarelas para Camaquã, uma no km 395,350 (em frente à Blue Ville) e a outra no km 395,820 (próxima à Escola Municipal de Ensino Fundamental Cândido Rodrigues de Freitas). “Mais de 20 passarelas estão previstas para toda a duplicação, mas serão construídas em um outro projeto”, anunciou o superintendente.
    Estiveram presentes no encontro representantes das construtoras, supervisão de obras, gestão ambiental e os fiscais do DNIT dos Lotes 4 e 5, engenheiros Adalberto Jurach e Vladimir Casa, respectivamente.
     
    Situação por lote(final de fevereiro/18):
    Lote 1
    Os serviços neste lote estão paralisados desde fevereiro de 2017. Foram investidos R$ 114,3 milhões, totalizando 62,3%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 92,4% (22,6 km)
    Base da pavimentação –  63%(15,4 km)
    Pavimentação (asfalto) – 18,8%(4,6km)
    Lote 2
    Os serviços neste lote estão paralisados desde agosto de 2016. Foram investidos R$ 113,9 milhões, totalizando 70,5%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 100% (26,3 km)
    Base da pavimentação – 80,9% (21,3 km)
    Pavimentação (asfalto) – 34% (8,9 km)
     
    Lote 3
    Os serviços neste lote estão paralisados desde julho de 2016. Foram investidos R$ 65,6 milhões, totalizando 64%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 98,7%(21,6 km)
    Base da pavimentação – 92,3% (20,2 km)
    Pavimentação (asfalto) – 65%(14,2 km)
     
    Lote 4 (Em obras)
    Neste lote foram investidos R$ 63,4 milhões, totalizando 44,5%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 100%(23,9 km)
    Base da pavimentação – 87,5%(20,9 km)
    Pavimentação (asfalto) – Não iniciado
     
    Lote 5 (Em obras)
    Neste lote foram investidos R$ 70,3 milhões, totalizando 41,2%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 76,4%(19,1 km)
    Base da pavimentação – 56,9%(14,3 km)
    Pavimentação (asfalto) – Não iniciado
     
    Lote 6 (Em obras)
    Neste lote foram investidos R$ 71,8 milhões, totalizando 48,3%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 76,4%(19,1 km)
    Base da pavimentação – 56,9%(14,3 km)
    Pavimentação (asfalto) – Não iniciado
     
    Lote 7 (Em obras)
    Neste lote foram investidos R$ 72,6 milhões, totalizando 48,3%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem 97,5%(21 km)
    Base da pavimentação 81,8%(17,6 km)
    Pavimentação (asfalto) – Não iniciado
     
    Lote 8
    Os serviços neste lote estão paralisados desde julho de 2017. Foram investidos R$ 107,5 milhões, totalizando 77,2%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 100%(18,9 km)
    Base da pavimentação 83,6%(15,8 km)
    Pavimentação (asfalto) – 43,5% (8,2 km)
     
    Lote 9
    Os serviços neste lote estão paralisados desde julho de 2017. Foram investidos R$ 111,1 milhões, totalizando 75,5%, dos serviços previstos, incluindo:
    Terraplenagem – 96% (21,8 km)
    Base da pavimentação – 85,5%(19,4 km)
    Pavimentação (asfalto) – 77,3% (17,5 km)



    Comentários